A simplicidade vale diamante

Compartilhe!

Gosto da simplicidade do dia-a-dia, de viver com tranquilidade o corriqueiro, o simples e o básico da vida! As explosões de alegria são muito boas, nos dão uma sensação única e incomparável, assim como nossas grandes ‘desgraças’ são fonte de sentimentos intensos, de muita dor, é aquele chão que some debaixo dos pés…

O filósofo Khalil Gibran, afirmava que “A simplicidade é o último degrau da sabedoria.”, como discordar dele? É lógico que é muito bom experimentarmos alegria intensa e que é importante lidarmos com as grandes tristezas, mas alcançarmos a plenitude e o prazer, sermos felizes com a simplicidade do dia-a-dia, com a vida corriqueira que se nos apresenta é sinal de muita sabedoria e evolução.

Acordar dia-após-dia em casa, cercado pelos que amamos, trabalharmos sem grandes surpresas, desempenhando nossas tarefas com carinho e com cuidado, tendo prazer no trabalho que temos e que fazemos é sublime.

Desfrutar da convivência das pessoas regulares e comuns de nosso círculo social, familiar e de trabalho, é muito gostoso e nos traz paz. É bom já sermos conhecidos por eles, conhecermos a cada um deles e não precisarmos ‘nos apresentar’ e ‘nos fazer conhecer’ o tempo todo. Estarmos cercados pelos que nos conhecem e gostam de nossa convivência é para ser ‘saboreado’ com carinho, é para ser apreciado…

O filme “Comer, rezar e amar” apresenta uma ‘aventura’ da personagem em busca de uma vida equilibrada, simples, que lhe traga felicidade e plenitude, entretanto sem imensas realizações, sem grandes feitos, sem muitos ‘flashs’. Diz a autora em dado momento: “tem que aprender a escolher seus pensamentos da mesma forma que escolhe suas roupas todos os dias, trabalhe sua mente é a única coisa que deve controlar porque se não dominar seus pensamentos terá problemas sempre.”

Sim, temos de aprender a escolher nossos pensamentos diariamente e isso inclui pensarmos que somos e seremos felizes em nossa vida corriqueira… que pode ser muito bom parar para comprar frutas na banca da feira em uma manhã, que é muito gostoso sentir o carinho dos familiares que conosco convivem, que é muito bom chegar ao trabalho e encontrar os colegas de sempre, pessoas que conhecemos e que nos conhecem e que sabemos como lidar com elas e que sabem como lidar conosco.

Gostoso é termos para onde voltar à tarde, pós trabalho, benção mesmo é termos aquele abraço que afaga a alma quando estamos tristes, bom mesmo é comer uma pipoca e assistir um filminho na televisão, em companhia dos que amamos, incrível mesmo é aquele pastel de feira, num almoço ‘chique do domingo’, acompanhado por um refrigerante e regado a muita risada e leveza.

Quando aprendemos a apreciar nossa companhia, quando a valorizamos tudo o que temos e tudo o que somos, quando somos gratos por quem está em nossas vidas, solucionar os problemas que vão surgindo, torna-se menos sofrido, uma vez que estamos cercados pelo amor, uma vez que sabemos como funcionamos, uma vez que somos gratos a tudo o que nos acontece.

Deixo para reflexão: “As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.” Epicuro

Compartilhe!