Compartilhe!

O adolescente de 17 anos, que confessou ter matado a estudante Yasmin da Silva Nery, em Araraquara (SP), relatou para a Polícia Civil que “desejava matar para ver qual era a sensação”. O crime aconteceu no último domingo (9), como foi mostrado aqui no Rápido no Ar.

Segundo o delegado da Polícia Civil, Fernando Bravo, o desejo de matar alguém seria o principal motivo do crime e a vítima teria sido escolhida ao acaso. Ele ainda teria recebido a ajuda de sua ex-namorada, para transportar partes do corpo.

Para os policiais, ele ainda relatou que a parte do corpo da adolescente encontrada na casa dele, era um troféu. Pouco antes de deixar a delegacia, o jovem falou que não estava arrependido. Na coletiva o delegado também relatou que a ex-namorada também estava dando risada do havia acontecido e só mostrou um pouco de arrependimento no momento em que ficou na frente da sua mãe.

Yasmin foi morta por enforcamento, teve o corpo esquartejado e os pedaços espalhados em vários locais da cidade. O adolescente disse ter agido sozinho, quando a mãe dele saiu para ir à igreja e o deixou a sós com a garota, em sua casa. A estudante teria sido morta na noite de domingo (9). Em seguida, o garoto cortou o corpo e usou sacolas de supermercado para levar as partes até os locais onde foram jogadas.

A estudante estava desaparecida desde que saiu de casa alegando que iria a um show, na unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc), no bairro Quitandinha. De acordo com a Polícia Civil, os familiares denunciaram o desaparecimento e a investigação apurou que ela tinha sido vista com o adolescente.

Parte do corpo da jovem estava na residência dele, dentro de um carrinho de lanches, no quintal. Outra parte foi jogada em uma lagoa próxima. Outros pedaços do corpo foram encontrados em um cruzamento na região do Quitandinha, próximo do campus da Unesp
Foi o próprio rapaz que levou a polícia aos locais onde havia deixado as partes da jovem. A motivação para o crime ainda é investigada – as versões apresentadas pelo suspeito foram contraditórias, segundo a polícia.

O pai da estudante, Waldir Nery, disse que a filha conheceu o rapaz pelas redes sociais. “Ela saiu para ir ao Sesc e não voltou. Ficamos preocupados, pois ela não ficava mais que duas horas fora de casa. Era escola, casa, escola casa, então começamos a procurar.” Ele contou que chegou a ligar para o celular da filha e o rapaz atendeu, mas foi evasivo. A família decidiu procurar a polícia.

Yasmin estudava como bolsista no colégio Sapiens, escola tradicional de Araraquara, e era admirada pela inteligência e dedicação. A escola divulgou nota manifestando “profundo pesar” pelo acontecido. “Tomados de imensa consternação pela notícia do falecimento trágico de nossa aluna, Yasmin da Silva Nery, informamos que rodas as atividades do Collegium Sapiens Araraquara estarão suspensas amanhã (terça-feira, 11), por motivo de luto.”

O adolescente e a ex-namorada foram apresentados à Vara da Infância e da Juventude. Ele foi encaminhado para uma unidade da Fundação Casa. Aluno da Escola Estadual Bento de Abreu, ele tocava em bandas e não registrava passagens pela polícia.

Compartilhe!