Ansiedade tão silenciosa e tão dolorida

Compartilhe!

Quantas vezes não nos sentimos ansiosos frente à uma situação específica, um problema, uma dificuldade? Parece que nossa mente, nosso pensamento gira em torno de um mesmo assunto, ficamos ali “martelando” nossos problemas e nem nos damos conta que não estamos conseguindo dormir direito, estamos ofegantes, comemos sem saborear e aproveitar o momento da refeição, muitas vezes não temos momentos de lazer, pois não nos permitimos relaxar.

Mas por que fazemos isso e agimos assim, se isso não nos ajuda em nada? Porque estamos ansiosos, porque estamos agindo sob efeito da ansiedade, que hoje em dia, tornou-se muito mais frequente e comum que imaginamos.

O dia a dia corrido, os problemas se avolumando, a dificuldade nos relacionamentos, muitas vezes dificuldades financeiras, falta de emprego, brigas em família, cobranças vindas ‘de todos os lados’ nos ‘atropelam’ e dificultam que retomemos nosso ‘auto-controle’.

A ansiedade é sentida por meio de pensamentos recorrentes em um só assunto, do sono picado e que não descansa e/ou relaxa, dificuldade de ‘pararmos quietos’, um constante movimentar de pernas, braços, roer unhas, um tremor constante, a respiração ofegante (parece que está nos faltando o ar) que, em muitos casos, nos dá até dor no peito.

Como é difícil vivermos sob ansiedade!

Mas o que fazer?

Já dizia George Bernard Shaw: “A ansiedade e o medo envenenam o corpo e o espírito.” e tinha razão, não? Ansiosos não pensamos bem, não nos sentimos bem, não relaxamos, não estamos felizes.

Antes de mais nada, reflita sobre as razões de sua ansiedade, procure compreender tais situação-problema e buscar a solução das mesmas a médio e longo prazo, nem sempre temos solução imediata, mas sempre encontramos soluções para nossos problemas.

Busque não pensar apenas no mesmo assunto, diversifique os assuntos, pense em coisas positivas e boas também (sim, todos temos muitas coisas boas). Respire, esteja focado em respirar profundamente e pausadamente, respirar é fundamental e ajuda a reduzir os estados ansiosos. Faça atividades de lazer e/ou relaxantes. Não deixe de fazer coisas que te divirtam e te ajudem a relaxar.

Não enfrente sozinho a ansiedade! A psicoterapia lhe ajudará a passar por essa fase, a se conhecer melhor, a conhecer o que lhe causa ansiedade e a lidar com os próximos problemas que virão.
Cuide de sua saúde mental! É fundamental para todos nós!

Compartilhe!