Uma cena de despedida emocionou uma família na cidade de Teresina (PI). Belinha, como é conhecida a cachorra da raça Boxer, acompanhou o velório de sua tutora e melhor amiga, Telma Maria Pereira de Andrade, que morreu em decorrência de um câncer.

O caso ganhou as redes sociais após um dos filhos de Telma publicar uma foto descrevendo a cena, que emocionou todos os familiares. “E como um anjo, ela passou a noite toda ao seu lado. Mamãe dizia que era a sua enfermeira. A Belinha, como foi batizada por Telma Maria, mostrou ser a companheira mais que fiel. Amor, vida, morte e ensinamentos. Alguns vão dizer que sou um idiota em postar a foto do caixão da minha mãe, mas uma imagem pode ensinar muita gente a amar os animais, e que animais não são só animais, pois eles são puramente amor. #saudade”, relatou Dionísio Neto.

Belinha e Telma

Belinha era companheira para todas as horas e esteve ao lado de sua tutora durante toda luta contra a doença. Segundo familiares, a cachorra também era chamada de ‘enfermeira’ por Telma.

Ela veio para a família ainda filhote e Dionísio relata que no começo a mãe era contra, mas com o passar do tempo as duas foram criando um elo de amizade, que fez delas melhores amigas e as tornou inseparáveis. “Era uma terapia para minha mãe”, conta Dionísio, já que sua mãe sofria muitas dores em decorrência do câncer.

Belinha, que está na família há quatro anos, depois da morte de sua amiga, vai ao quarto de Telma todos os dias e chora. Nesta quarta-feira (14) completa-se sete dias da morte, e Belinha irá com os familiares visitar o tumulo de sua melhor amiga.

Telma Maria Pereira de Andrade tinha 53 anos e deixou três filhos, um neto e a Belinha ou Enfermeira, como ela mesmo gostava de chamar.

Imagens: Arquivo Pessoal / Dionísio Neto

Comente!

Veja também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here