Elefanta Ramba desembarca em Viracopos e seguirá para santuário brasileiro

O aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas (SP), recebeu na manhã desta quarta-feira (16), uma passageira incomum. Um voo procedente de Santiago, no Chile, trouxe para o Brasil a elefanta Ramba, um animal de 3,6 toneladas. O exemplar do maior mamífero terrestre chegou em um contêiner adaptado para o transporte e desembarcou no setor terminal de cargas do aeroporto

Ramba deve seguir agora por terra para o Santuário de Elefantes do Brasil, no município de Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso. A fêmea tem 53 anos e ficou conhecida como a última elefanta de circo do Chile. Durante três décadas, ela viajou de caminhão, presa a correntes, para ser vista em apresentações circenses. Em 1997, o animal foi confiscado do circo “Los Tachuelas” pelo Serviço Agrícola e Pecuário do Chile, devido às denúncias de negligência e maus-tratos.

O circo continuou, no entanto, como depositário até a elefanta ser resgatada, em 2011, pela ONG Ecópolis. Ramba foi levada para um recinto em Rancagua, a 90 km de Santiago. A entidade, que atuava com outros animais silvestres e não tinha experiência com elefantes, acabou entrando em contato com o santuário brasileiro.

De acordo com a voluntária Valéria Mindel, embora estivesse fora do circo, a elefanta ainda sofria com o rigor do inverno chileno e com a solidão. “O santuário abriu um financiamento coletivo aqui e nos Estados Unidos para custear a viagem de Ramba e houve grande aceitação”, disse. A instituição contou com o apoio de empresas para o transporte de Ramba. O aeroporto de Viracopos colaborou com a isenção de taxas alfandegárias.

A entrada da elefanta no Brasil foi autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O embarque, no aeroporto chileno, deve acontecer no final da noite da terça-feira, 15. O presidente do santuário, Scott Blais, e um veterinário estarão com Ramba no voo, em avião de cargas. Após a chegada em Viracopos, a elefanta seguirá de caminhão até o santuário. A viagem deve durar cerca de 30 horas, com previsão de paradas apenas para a troca de motoristas. Assista sua chegada:

Conforme a assessoria de imprensa do santuário, algumas fazendas foram contatadas em pontos estratégicos do percurso, de 1.450 km, para eventual abertura da caixa onde a elefanta estará contida. Uma equipe multidisciplinar acompanhará o transporte. Na chegada ao santuário, a caixa será aberta e a própria Ramba vai decidir se permanece isolada ou vai para o convívio das duas elefantas – Maia e Rana – que já vivem na área desde 2018.

O santuário adquiriu uma fazenda de 1.100 hectares, na Chapada, para manter os elefantes em condições de vida mais próximas à natureza. Em 2016, o santuário foi licenciado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) e, dois anos depois, recebeu os primeiros animais. O projeto, mantido sem financiamento público, conta com o apoio de voluntários, da Global Santuary for Elephants (GSF) e da Elephant Voices, entidades internacionais.

Compartilhe!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here