1 – Para evitar despesas, governo tenta apressar a relicitação
Os problemas financeiros enfrentados por concessionárias de rodovias e aeroportos, principalmente as que arremataram empreendimentos leiloados no governo de Dilma Rousseff, aumentam o risco de esses negócios voltarem às mãos do governo e trazerem novas despesas. Um exemplo é o da BR-153 em Goiás e Tocantins, que foi concedido à Galvão. Praticamente abandonado, sem receber investimentos, o trecho acabou retomado pelo governo, que precisou fazer um tapa-buraco de emergência.

2 – Para FHC, não se deve confundir ‘centro’ com ‘Centrão’
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou nesta quinta-feira, 17, que a defesa da união do que ele chama de “centro democrático e reformista” não deve ser confundida com o “Centrão” – bloco informal na Câmara composto por partidos médios e pequenos.


3 – Demanda de primeira leva de aeroportos concedidos está 30% abaixo da prevista
A demanda dos cinco aeroportos concedidos à iniciativa privada no governo Dilma Rousseff está, em média, 30% abaixo do projetado na época dos leilões em 2012 e 2013. Levantamento feito pelo jornal ‘O Estado de S. Paulo’, com base em dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e nos editais de licitação, mostra que, até o ano passado, a frustração de demanda somava 40 milhões de passageiros nos Aeroportos de Guarulhos (SP), Brasília, Viracopos (SP), Confins (MG) e Galeão (RJ).

4 – José Dirceu tem até 17h para se entregar à Polícia Federal
Morando em Brasília desde maio de 2017, o ex-ministro José Dirceu deve se entregar até as 17h de hoje (18) na sede da Polícia Federal (PF) na capital. A ordem é da juíza substituta da 13ª Vara Federal Gabriela Hardt, que substitui Sérgio Moro, titular, que está fora do país. A juíza determinou a execução provisória da condenação de Dirceu a 30 anos e nove meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa, no âmbito da Operação Lava Jato.

5 – China encerra medidas punitivas contra sorgo dos EUA
O Ministério do Comércio da China informou nesta sexta-feira que decidiu abandonar tarifas antidumping e contrárias a subsídios sobre o sorgo importado dos Estados Unidos, enquanto negociadores chineses e americanos tentam chegar a um acordo para aliviar as recentes tensões comerciais entre os dois países.

Comente

comentários

Veja também:

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Se inscrever  
Notificação de